Discurso - Agosto/2008:


Boa Noite Queridos Amigos

Eu estou bem consciente que os melhores discursos são aqueles mais curtos. E é por isso que me proponho a ser muito breve, não com um discurso, mas com uma saudação simples, para dizer da imensa felicidade de podermos estar aqui reunidos na comemoração dos primeiros 25 anos, dessa empreitada vitoriosa que é o GAS. E me comprometo a não roubar de vocês, mais do que uns rápidos minutos. Acho até que o momento é oportuno para relembrar, em poucas palavras, o sucesso da iniciativa de um grupo reduzido de pessoas, entre as quais tive a honra de estar incluído, que constituíram um organismo com a finalidade de enriquecer o universo de conhecimentos dos profissionais da Área de Serviços Gerais, através do intercâmbio de experiências adquiridas por esses profissionais em suas respectivas empresas. Mas, aconteceu que ao final da primeira reunião do Grupo, há exatos 25 anos, mais do que a esperança de estarmos fazendo nascer um projeto promissor, tivemos a convicção de que estava plantada a semente de uma árvore carregada de energia, destinada a produzir muitos e muitos frutos ao longo dos anos. Todos perceberam no GAS uma idéia séria e consistente, que rapidamente se transformaria em realidade e conquistaria reconhecimento incontestável ao meio empresarial. E o tempo se encarregou de endossar essa verdade, assim sempre que algo incomum acontecia em nossa área de atividade, uma pergunta natural vinha prontamente à tona: O que o pessoal do GAS pensa a respeito? Falando em termos pessoais posso assegurar que as inúmeras inovações e toda contribuição que levei à empresa em que atuei por mais de 40 anos, teve muito a ver com o intercâmbio de experiências, resultados das reuniões do GAS. Fato que, seguramente, também aconteceu com os demais participantes do Grupo. Mas, é importante ressaltar que independentemente do talento de cada um e alto grau de profissionalismo sempre demonstrado por todos, um fator que contribuiu decisivamente para que o GAS se tornasse ima idéia vitoriosa, foi a empatia que brotou espontaneamente entre os integrantes do Grupo. Mais do que colegas de profissão o GAS acabou se tornando uma verdadeira familia, uma confraria de bons amigos, ligados por laços muito fortes de respeito e afetividade. Talvez ai esteja um dos principais segredos do sucesso daquela iniciativa: a sincera amizade entre pessoas, aliada a lealdade e isenção de vaidades que sempre pontua a conduta da cada integrante do Grupo, sem exceções. E é com base nessas premissas que formulo os meus sinceros votos no sentido de que essa árvore plantada há ¼ de século jamais seja abatida, para permitir que as próximas gerações possam comemorar muitos 25 anos, com o mesmo gás que estão sendo comemorados estes primeiros 25 anos.

Obrigado pela atenção e aceitem um beijo no coração de cada um.

J. M. Gaspar

Agosto 2008.